Minha experiência de viagem – Águas de Lindóia

29 de junho de 2021 - Regiane Silva

Apesar de ser muito caseira, viajar tornou-se um dos meus maiores sonhos. A culpa é dos influenciadores de viagens que acompanho.

No dia 23 de junho completei três anos de casamento com o Willian, o amor da minha vida. Desde nosso casamento dizemos que vamos viajar e conhecer o mundo, mas até hoje mal saímos de casa.

Havíamos planejado uma viagem no início de 2020, mas veio a pandemia e estragou tudo. Até hoje tentamos encontrar uma saída no meio do caos em que o mundo se encontra, principalmente nosso país. Será que dessa vez vai?

Não julgo quem viaja durante a pandemia, se a pessoa tiver consciência e tomar os cuidados devidos – máscara, álcool em gel e ter uma distância segura dos outros – não vejo mal em sair de casa para descansar do estresse que esse confinamento causa.

Pensando nisso tomamos a decisão de tirar um final de semana e viajar para comemorar nossos três anos de casados. Poços de caldas era nosso destino principal, visto que nossa lua de mel foi lá e não conseguimos aproveitar muito por não ter um roteiro preparado.

Sentindo aquela animação e ansiedade após preparar toda a viagem e quais lugares que queríamos ir, ligamos para o hotel. Foi frustrante ouvir da atendente que a cidade está em quarentena e os hotéis fechados.

Já havíamos desistido e jogamos a data da viagem para mais longe. Talvez em Julho dê certo, dissemos. No entanto, outro destino bateu em nossa porta, Águas de Lindóia. Uma cidade pequena, bonita e próxima da nossa.

Preparativos

Programei novamente o roteiro de viagem, escolhi alguns hotéis para ligar e ver o preço. Dos cinco hotéis, apenas dois atendeu e escolhemos um para ser nossa casa naquele final de semana. Vitória Garden nos aguardava.

Tentei fazer a menor mala possível, seria apenas um final de semana e não precisaria de muito. Apenas me atentei ao clima, Junho é um mês frio e Águas de Lindóia fica rodeada por montanhas, então dois casacos não seria muito.

Quando voltamos da viagem, cheguei a conclusão que não precisava ter levado metade do que levei e ficou um aprendizado para a próxima viagem.

A estrada

O trajeto foi tranquilo, mesmo eu estando ansiosa por ter de guiar meu marido com o GPS. Eu sempre me atrapalho e não entendo muito bem as vias que devemos pegar. Erramos só uma vez e chegamos a cidade em segurança.

Eu amo as estradas, principalmente as mineiras ou próximas a Minas Gerais. A paisagem é de tirar o fôlego. Eu sempre brinco dizendo que você sabe que está chegando em terras mineiras quando as montanhas estreitam as estradas.

Eu amo montanhas! E o caminho para Águas de Lindóia tem várias que nos acompanham próximo a cidade.

O destino

Não foi difícil encontrar nosso hotel, ele está localizado no centro, bem perto da entrada. Ainda sentindo um certo receio por estar em um ambiente novo, fizemos o check-in e após deixar as mochilas no quarto, que era simples e muito gostoso, fomos desbravar a cidade.

Com a ajuda do GPS, fomos em direção ao bosque Zequinha de Abreu, não antes de admirar o famoso hotel Panorama.

Shopping center Caneloi e Hotel Panorama

O bosque é um lugar perfeito para caminhar entre a natureza. Confesso que a sensação era dele estar abandonado, ou não tão cuidado, pois as trilhas não tinham proteção devido ao riacho que o atravessa. Contudo, isso não foi motivo para não aproveitar. É uma delícia sentir o frescor das árvores ali presente.

Uma pequena feira corta o caminho principal até a chegada a praça principal da cidade, Adhemar de Barros. Local que você pode tomar água de coco, suco de milho, comer pipoca e admirar o lago cheio de patos e residencial de uma família de capivaras.

É espetacular a beleza que o rodeia. Enquanto caminhava por ele, não deixei de admirar as montanhas que cercam a cidade. Apesar de o turismo ser forte e a quantidade de pessoas um pouco estressante, Águas de Lindóia é perfeita para nos proporcionar calmaria.

Bosque Zequinha de Abreu e Praça Adhemar de Barros

Não vou deixar de citar o quão admirada fiquei com a educação que os motoristas têm. Não se ouve buzinas no trânsito e todos param o carro para os pedestres atravessarem, independentemente da quantidade de carros atrás. Isso é muito elogiável!

Após o almoço, tiramos um cochilo antes de continuar o passeio. Bom, meu marido tirou um cochilo, eu estava tão agitada e animada que fechei os olhos por apenas dez minutos.

A parte que eu aguardava ansiosamente chegou, a volta de trenzinho pelos pontos turísticos. Infelizmente não fotografei o trenzinho, mas vale muito a pena.

Durante o trajeto recebemos informações do motorista, por meio de um rádio comunicador, sobre algumas curiosidades da cidade. E a parte mais aguardada é o Cristo, de lá temos uma visão panorâmica de toda a cidade e conseguimos ver mais quatro ao longe.

Não consegui encontrar palavras para descrever a vista que tive. Senti os olhos marejarem ao me deparar com o mar de montanhas a minha frente.

Que bela paisagem!

Olhar todas aquelas montanhas me fez perceber o quão pequena sou comparada a esse mundo gigante. Também me fez ansiar por mais, querer explorar cada pedacinho escondido. Isso se tornou uma meta.

Vista do Cristo

Após esse passeio fomos conhecer o sebo. Meu marido e eu amamos livros, por isso em todas as cidades que vamos sempre procuramos pelas livrarias e sebos. Ganhei de presente a Autobiografia da Agatha Christie, minha autora favorita.

Naquela noite não dormi muito bem, sempre estranho a cama, o travesseiro e o ambiente. Desde criança tenho dificuldade de dormir em locais que não seja minha cama. Mesmo estando esgotada a agitação e euforia eram maiores que o sono. Por isso no dia seguinte acordei cansada e dolorida, mas, mesmo assim, continuamos o restante do passeio.

Faltavam dois lugares para conhecer, o Balneário e o centro comercial que contém mais de trinta lojas. Acordamos cedinho e fomos dar uma volta na praça Adhemar de Barros até dar o horário do café da manhã no hotel, seria as 08:30 – confesso que achei muito tarde.

Praça Adhemar de Barros

Entramos no Balneário e ficamos perdidos, em vez de pedir informações apenas andamos pelo local. Disse para nós, o motorista do trenzinho, que a água de lá foi levada pelo Apollo 11 para a lua em 1969. Infelizmente não conseguimos conhecer mais detalhadamente sobre isso.

O centro comercial é bem bonito! As lojas agrupadas como chalés dá um charme para a rua enquanto caminhamos pela calçada observando as vitrines.

Balneário e Centro comercial

Resolvemos não almoçar, visto estarmos sem fome devido ao café da manhã reforçado que comemos. Após descansar um pouco no hotel, fizemos o check-out às 11:30 e fomos para Monte Sião – MG, a capital do tricô que fica a cerca de 9 km de Águas de Lindóia.

Eu estava muito animada para ir, queria ver o ônibus vestido de tricô que é o receptivo turístico situado em uma praça muito bonita onde as árvores têm formato de animais. Porém, fiquei ansiosa e estressada durante o caminho e deixei isso estragar todo o passeio. Tudo perdeu o brilho e o encanto, eu apenas queria ir embora.

No entanto, algo me marcou e quando me lembro disso sinto uma pontada de arrependimento no peito. Em uma esquina havia um velhinho tocando sua música que era abafada pelo barulho de pessoas, pois, a cidade estava lotada de turistas.

Aquela cena, do senhor tocando sua gaita, seria algo que chamaria minha atenção, me faria parar para observá-lo um pouco enquanto ele demonstra sua arte da maneira mais simples e pura em uma esquina repleta de pessoas andando de um lado para o outro ignorando sua presença. Eu fui uma delas, passei reto e não apreciei. Quando terei outra chance de escutá-lo? Acredito que nunca mais.

Deixei meu emocional abalado, por uma situação que pode acontecer sempre, estragar um momento bonito. Esse é meu maior arrependimento da viagem.

Não ficarei me lamentando para sempre, afinal, não resolverá e me fará sentir pior. Mas é algo que preciso me atentar mais, pois, minha ansiedade estará presente e a escolha de dar ouvidos a ela é minha.

Receptivo Turístico Monte Sião

Conclusões

Acredito que essa foi a viagem que mais aproveitei. Foi bem cansativa, devido o tempo ser curto. Se tivéssemos mais um dia talvez eu não teria cansado tanto, já que poderíamos ter dividido o passeio de uma maneira menos afobada. Mas, valeu a pena.

Não visitamos todos os pontos turísticos, existem muitos lugares bonitos ao redor da cidade. Numa próxima vez quero visitá-los.

Águas de Lindóia é um lugar que quero voltar.

Postagem feita por:

Foto Regiane Silva Regiane Silva

Deixe um comentário para motivar a autora

O seu endereço de e-mail não será publicado.