O lado feio do amor — Resenha

23 de abril de 2022 - Regiane Silva

Uma prateleira com vários livros, em destaque está o livro O lado feio do amor.

Livro: O lado feio do amor

Autora: Collen Hoover

Editora: Galera

Publicado em 2014 (no Brasil, 2015)

Páginas: 334

39 Capítulos + epílogo.

Nota: 4 estrelas ⭐⭐⭐⭐

Sinopse: Quando Tate Collins se muda para o apartamento do irmão, em São Francisco, pronta a se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imagina estar prestes a conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento em que companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo.

Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin Collins, sabe ser persuasivo. E muito. Apesar de reservado, e da armadura emocional que carrega para não deixar estranhos se aproximarem e descobrirem nada a seu respeito, ele instantaneamente seduz Tate com seu jeito misterioso e físico perfeito. Mas sua beleza esconde um passado repleto de dor.

O que os dois sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. Miles, no entanto, se recusa a abaixar as barreiras que construiu em volta de si mesmo e impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será apenas uma relação casual e nada mais; nenhum dos dois quer se envolver.

Eles têm a sintonia perfeita. Quando estão juntos, Tate se entrega sem pensar nas consequências, no que seu irmão faria se descobrisse aquele romance proibido acontecendo embaixo de seu nariz. Mas a verdade é que ela não pode resistir a Miles. E quando se dá conta, já ultrapassou todos os limites… Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.

Uma prateleira com vários livros, em destaque está o livro O lado feio do amor.

Resenha

O lado feio do amor, apesar de ser um drama e ter gatilhos, é um livro fácil de ler. A escrita de Colleen é leve e fluída, os capítulos vão passando e a gente nem se dá conta.

Narrado por Tate e por Miles, vamos mergulhando no presente e no passado, em busca de entender as personagens.

Tate é aquela personagem que não é muito aprofundada. Não dá para saber muito sobre o passado dela, além do relacionamento que tem com o irmão. Ela é uma personagem plana, não muda ao longo da história. Diferente de Miles, que tem questões obscuras das quais ele tenta fugir a todo custo.

No início, é impossível não se apaixonar pelos dois e desejar que dê certo esse relacionamento, que começa simples. Contudo, as coisas vão saindo do controle de Tate e passam a nos deixar apreensivos.

Pela primeira vez, durante uma leitura, eu não consigo defender a mocinha. Por mais que vi muitas pessoas criticarem as coisas que Miles faz com ela, em momento algum ele disse que não o faria. A relação deles é muito clara. Miles coloca todos os pingos nos I’s quando faz a proposta, e Tate aceita, mesmo sabendo que não pode lidar com isso.

Mesmo que o relacionamento deles seja apenas sexual, é compreensivo os momentos em que Tate fica confusa com as atitudes de Miles. Ele é fofo, atencioso, preocupado e protetor. No entanto, ele também consegue destroçar o emocional dessa garota sem nem precisar dizer uma frase.

Cheguei a um ponto da leitura que não dava mais para torcer pelo casal, muito menos defender Tate. Não é só falta de amor-próprio, Tate parecia muito masoquista. Estava mais interessada no bem-estar de Miles do que no dela. Isso fica claro quando eles finalmente acertam as coisas. Eu esperava por algo mais complicado e intenso, mas ela aceitou ouvir o lado dele muito facilmente.

Apesar desses pontos, eu gostei muito do livro. Gostei de acompanhar a trajetória. Gostei de sentir apreensão dentro de mim e de largar a leitura em alguns momentos apenas para recuperar o fôlego. São coisas assim que fazem um livro bom: as emoções intensas que ele nos causa.

Dou nota 4 para o lado feio do amor. Foi meu primeiro contato com Colleen e amei a maneira como ela descreve os sentimentos, as sensações que cada personagem está sentindo. No começo, estranhei um pouco, principalmente o Miles. Achei até que ele tinha algum problema psicológico. Mas depois percebi que era o caminho que a autora escolheu para o leitor entrar na mente deles e descobrir os sentimentos mais puros.

Após essa leitura, comprei mais um livro da autora e não vejo a hora de iniciá-lo.

livro aberto em uma mesa
Livro aberto em uma mesa

“Deixo que me use para se livrar da dor. Faço tudo o que quiser, por quanto tempo quiser, contanto que pare de sofrer como está sofrendo. — Tate.” (p. 284)

“A diferença entre o lado bonito e o lado feio do amor é que o lado bonito é bem mais leve. — Miles” (p. 290)

Postagem feita por:

Foto Regiane Silva Regiane Silva

Deixe um comentário para motivar a autora

O seu endereço de e-mail não será publicado.